Secretarias e Órgãos
Telefones úteis
Redes Sociais

Calendário
Dezembro 2019
D 2a 3a 4a 5a 6a S
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31 1 2 3 4
Grupos de Pesquisa

GRUPOS DE PESQUISAS

Grupo de Pesquisa: NUCLEO DE ESTUDOS EM POLÍTICAS, GESTÃO E AVALIAÇÃO EM SAÚDE

Lider: Adriano Rodrigues de Souza

Repercussões dos trabalhos do grupo:

O Núcleo de Estudos em Políticas, Gestão e Avaliação em Saúde, congrega profissionais da academia, da gestão e dos serviços de saúde mobilizados para os avanços do movimento da reforma sanitária no país e a construção do SUS. Partindo de análises das políticas públicas e dos modelos de gestão adotados, contribui neste cenário com o desenvolvimento de processos de monitoramento & avaliação em saúde no Brasil, com abordagens de natureza quantitativa e qualitativa.

Grupo de Pesquisa: CULTURA, SABERES E PRÁTICAS EM SAÚDE

Líder: Andrea Caprara

Repercussões dos trabalhos do grupo:

O grupo desenvolve estudos numa grande área de investigação denominada "Cultura, Saberes e Práticas em Saúde" que aborda a relação entre cultura e práticas de saúde através de duas linhas de pesquisa. A primeira, denominada "Eco-saúde" analisa as doenças transmitidas por vetores a partir de uma perspectiva transdisciplinar. A abordagem eco-bio-social é um primeiro exemplo deste processo de reflexão teórioco-metodológica e de pesquisa assim como a antropologia do contágio. Dentro desta linha o grupo desenvolveu o projeto "Urbanização, Dinâmicas Culturais e Dengue em Fortaleza" apoiado pela OMS. A segunda linha de pesquisa denominada "Humanidades, Saberes e Práticas em Saúde", pretende explorar como a prática médica lida com as experiências de pacientes, profissionais de saúde, saúde, doença e sofrimento. Na formação dos profissionais de saúde, a abordagem das humanidades em saúde prevê a incorporação de elementos das ciências humanas (filosofia, psicologia, antropologia, literatura).

Grupo de Pesquisa: NUTRIÇÃO E DOENÇAS CRÔNICO-DEGENERATIVAS

Líderes: Helena Alves de Carvalho Sampaio; Gláucia Posso Lima

Repercussões dos trabalhos do grupo:

As doenças crônico-degenerativas configuram problema de saúde pública. Estudos avaliam seus determinantes, enfocando aspectos constitucionais e ambientais. Órgãos governamentais e não governamentais se envolvem na implantação de ações de saúde preventivas e de controle. Dentre os aspectos ambientais, têm merecido destaque os nutricionais e dietéticos. O avanço no conhecimento ainda não permite saber, com exatidão, qual a relação existente. Portanto são necessários estudos constantes aprofundando situação nutricional e padrão alimentar da população versus estas doenças. Mais três aspectos que perpassam este tema e influenciam resultados, necessitam de estudos sobre potenciais e reais interações: o envelhecimento, os determinantes socioculturais de o consumo alimentar e o letramento em saúde e nutrição da população. Este grupo de pesquisa objetiva abordar esta temática e esta rede de interações, contribuindo para a melhora da saúde e da segurança alimentar e nutricional da população.

Grupo de Pesquisa: VIDA E TRABALHO

Líderes: José Jackson Coelho Sampaio; Carlos Garcia Filho

Repercussões dos trabalhos do grupo:

As repercussões referentes ao desenvolvimento dos projetos das linhas de pesquisa do Grupo de Pesquisa Vida e Trabalho desdobram-se como se segue: 1. Epistemológicas, pela articulação crítica de saberes diversos como Medicina, Planejamento, Psicologia, Sociologia, Ergonomia, Economia e Antropologia. 2. Metodológicas, pela articulação crítica de métodos, procedimentos e técnicas originalmente gestados no campo do Positivismo e da Dialética. 3. Teóricas, pela aplicação em campo subjetivo das formulações macro-econômicas e macro-sociais do Marxismo. 4. Epidemiológicas, pela possibilidade crescente de elaboração de táticas preventivas de transtorno mental associado a processo de trabalho e a processo societário. 5. Clínicas, pela possibilidade crescente de elaboração de abordagens terapéuticas de sofrimento psíquico, capazes de incluir condições concretas de vida na determinação do sofrimento, no desempenho terapêutico e no desempenho reabilitador. 6. Sócio-econômicas, pela possibilidade crescente de envolver o campo da Saúde na perspectiva da cidadania, da qualidade de vida, da atenção primária e da medicina dos comportamentos, com destaque para a articulação com o Laboratório de Humanização da Atenção em Saúde-LHUAS, do Curso de Mestrado Acadêmico em Saúde Pública-CMASP.

Grupo de Pesquisa: SAÚDE MENTAL, FAMÍLIA, PRÁTICAS DE SAÚDE E ENFERMAGEM - GRUPSFE

Líder: Maria Salete Bessa Jorge

Participantes: Ilse Maria Tigre de Arruda leitão – Mardenia Gomes Ferreira Vasconcelos

Repercussões dos trabalhos do grupo:

O atual contexto das políticas de saúde mental no Brasil reivindica transformações nos saberes e fazeres voltados para este campo. O deslocamento do foco de atuação opera uma passagem do modelo da doença para uma atuação ético-política voltada para a valorização dos sujeitos na experiência do sofrimento psíquico, considerando os aspectos afetivos como os sócio-familiares, desenvolve estudos no sentido de colaborar com as reflexões no âmbito da saúde mental incluindo as relações entre as políticas e as práticas de saúde mental, enfatizando as propostas da Reforma Psiquiátrica. O grupo incorpora também estudos relativos à construção filosófico-conceitual dos saberes e práticas de saúde mental envolvendo a produção de subjetividade, as concepções de loucura, de doença mental e de sofrimento psíquico, entre outras. Os estudos desenvolvidos no grupo têm levado a uma produção de conhecimento consistente subsidiando trabalhos e produções acadêmicas, bem como a prática assistencial e de gestão.

Grupo de Pesquisa: GESTÃO E ESTUDOS ORGANIZACIONAIS

Lider: Marcio Oliveira Mota

Repercussões dos trabalhos do grupo:

Os trabalhos originados dos pesquisadores ligados ao grupo investigam os modelos organizacionais, as técnicas e as ferrramentas de gestão das diversas áreas da administraçao, os processos de conhecimento, aprendizagem e inovação para a construção da teoria e compreeensão do cotidiano de empresas de diversos portes.

Grupo de Pesquisa: INDICADORES DE SAÚDE

Líder: Francisco José Maia Pinto

Repercussões dos trabalhos do grupo:

É um grupo que tem por finalidade precípua integrar a equipe interdisciplinar no contexto das Estatísticas de Saúde e propiciar condições para um desenvolvimento harmônico, entre pesquisadores, estudantes pós-graduação "lato sensu"e outrosa profissionais de saúde, bem como desenvolver o senso crítico do alunado de Especialização em Epidemiologia e do Mestrado Acadêmico em Saúde Pública, a fim de atuar na prática dentro de uma visão abrangente (social, política e cultural) das inter-relações entre agente-hospedeiro-ambiente no processo saúde-doença. Este grupo também compõe um fórum de discussão e intercâmbio científico para os que estão preparando suas monografias de especialização e dissertações de mestrado. Desde que exista um vínculo com a temática "Estatísticas de Saúde", o GPIS tanto pode favorecer uma orientação sistemática quanto produzir um número substancial de estudos e pesquisas. Os componentes que integram este grupo, de princípio, têm produzido vários estudos e pesquisas.

Grupo de Pesquisa: LABORATÓRIO DE PESQUISA E DE PRÁTICAS COLETIVAS EM SAÚDE - LAPRACS/CNPQ - POLÍTICA, SABERES E PRÁTICAS COLETIVAS EM SAÚDE E ENFERMAGEM.

Líder: Thereza Maria Magalhães Moreira

Repercussões dos trabalhos do grupo:

A Saúde Coletiva veio atender à necessidade de construção de novos marcos teórico-conceituais em saúde frente ao esgotamento da biologicidade da saúde pública. O grupo de pesquisa consolidar-se-á como espaço científico e de repensar das práticas de saúde, aberto à incorporação de propostas inovadoras, contribuindo para firmação da saúde coletiva como campo interdisciplinar dinâmico. As crises científica, econômica, social e política da saúde lançam complexos desafios quanto ao que e como fazer para efetivamente articular-se aos novos paradigmas da saúde no século XXI. Nesse contexto, o grupo pretende buscar respostas às diversas interrogações e dilemas da saúde coletiva, visando re-configurar a saúde, superando a prática preditiva da Saúde Pública. O grupo de pesquisa pretende também ampliar a discussão e construção da Saúde Coletiva no campo das políticas e saberes nela envolvidos, e das práticas de saúde nela desenvolvidas, contribuindo, sobretudo, para construção de sujeitos sociais comprometidos com a melhoria da saúde nacional e mundial.