Acesso Rápido

O que você precisa?

Telefones Úteis

Redes Sociais

Página Inicial Noticias Lista de notícias Projetos de Extensão da Uece beneficiam mais de 160 mil pessoas por ano no Ceará
voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto
 
Projetos de Extensão da Uece beneficiam mais de 160 mil pessoas por ano no Ceará
A Universidade Estadual do Ceará (Uece) capta, anualmente, centenas de projetos de Extensão nas áreas de Saúde, Ciência e Tecnologia, Educação, Estudos Sociais Aplicados e Humanas, com o objetivo de utilizar o conhecimento acadêmico adquirido nas salas de aula do Ensino Superior para prestar ação social a comunidades no Estado. Colaborar para a transformação do público externo ao ambiente universitário com informações e serviços.
a
A prática tem gerado resultados relevantes: no ano passado, mais de 160 mil cearenses foram beneficiados diretamente através da política. Para este ano, a Uece conta com 253 destas ações cadastradas, distribuídas pelos sete municípios cearenses onde se encontram campus da instituição, e abrangendo as respectivas regiões: Fortaleza (160) Iguatu (32), Crateús (8), Tauá (5), Limoeiro do Norte (17), Quixadá (14) e Itapipoca (17).
a
Cada projeto de Extensão é coordenado por um professor e integrado também por estudantes monitores, remunerados ou voluntários. As ações surgem de propostas dos próprios professores, que levam à Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da Universidade Estadual a ideia que planeja colocar em atividade.
a
“Recebemos as propostas e encaminhamos para um parecerista, que vê se a proposta é de fato de Extensão. Para ser classificada como de Extensão, a atividade precisa, a grosso modo, ser importante para formação dos alunos e atender a comunidade. Com isso, o parecer é positivo e o projeto se torna apto a começar”, explica o pró-reitor de Extensão, Fernando Roberto Ferreira Silva.
a
A Proex recebe projetos em fluxo contínuo. A qualquer momento, professores podem propor novas atividades. “Como nós temos o Edital de Bolsas para os alunos, naturalmente o maior fluxo é no início do ano. A grande maioria dos projetos se inicia em março, sendo submetidos à apreciação em janeiro e fevereiro”, completa Fernando.
a
Astronomia nas escolas
a
O professor do Curso de Graduação em Física, Antonio Carlos Santana dos Santos, coordena há cinco anos o projeto de laboratório de ensino e pesquisa em Astronomia com a finalidade de levar o conhecimento sobre os corpos celestes e fenômenos fora da Terra para as escolas em Fortaleza. A atividade é ligada ao Centro de Ciência e Tecnologia da Uece, e já levou a mais de 2 mil estudantes, do nível fundamental ao superior, palestras e aulas práticas com telescópio realizadas no Observatório no Campus Itaperi.
a
“Apesar de ser muito bela, a Astronomia não é muito abordada em escola. O que nos motivou a tocar esse projeto foi a oportunidade de levar aos estudantes informações sobre o assunto. Às vezes se fala de Astronomia dentro da Geografia, não dentro da Física. Então resolvemos ter esse trabalho focado nisso, disponibilizando a visita de escolas públicas ou particulares para palestras e noites de observação”, explica Santana.
a
O professor relata que é gratificante ver o interesse dos jovens sobre o assunto, como também a dedicação por parte dos seus monitores voluntários do projeto. Dos estudantes da Física que estiveram sob sua coordenação, vários já saíram para Mestrados e Doutorados, e dois ex-alunos hoje trabalham para a National Aeronautics and Space Administration (NASA), em Washington, nos Estados Unidos.
a
Hoje um dos bolsistas no Observatório da Uece, o universitário Maurício Ferreira já facilitou diversas palestras para Ensino Fundamental e Médio em Fortaleza, em bairros como Demócrito Rocha, Parangaba e Messejana. Para ele, a experiência traz ânimo e muito conhecimento sobre a importância de pesquisar e transmitir bem os conhecimentos de sua área. “Quando a gente vai nas escolas, a gente desenvolve outras formas de pensar e aplicar o ensino daquele assunto. Isso nos dá motivação de estudar cada vez mais e conseguir levar melhor a informação para as pessoas.”
a
Assistência social
a
A Comunidade Vila Garibaldi, no bairro Serrinha, é vizinha do Campus Itaperi da Universidade Estadual do Ceará. Com o apoio de iniciativas que saem da Proex, a população que mora na localidade tem recebido assistência em Saúde e Educação. Do Centro de Ciências da Saúde, um dos projetos de Extensão atende a gestantes por meio de trabalhos de prevenção e cuidados com a gestação, saúde da mãe e do bebê
a
Especialista em enfermagem obstétrica, a professora Francisca Gomes Montesuma idealizou e coordena o projeto há três anos. Para ela, é de grande importância que mais ações de Saúde sejam voltadas ao atendimento de famílias em condição vulnerável. Dezenas de famílias já foram atendidas e contempladas com as ações do projeto para as gestantes.
a
“Nós fazemos um levantamento das gestantes que frequentam o Posto de Saúde do Campus e também na comunidade. Depois realizamos o diagnóstico dessas gestantes, temos uma primeira conversa, checamos se tem sido feito o pré-natal. Com palestras, damos uma série de informações básicas para a saúde delas e dos bebês”, explica Montesuma, que conta atualmente com o suporte de um bolsista.
a
As palestras organizadas pelo projeto envolvem desde a consulta obstétrica para as grávidas como também ações de conscientização das famílias acerca da sífilis e da importância de se ter um lar estável e com divisão de tarefas entre os parceiros, para que a gravidez ocorra da melhor forma. “Eu trabalho numa condição de oferecer alguma coisa no social, porque as pessoas são muito carentes de tudo, inclusive de informação. Elas sempre dão o retorno de que aprendem muito através desse tipo de projeto”, testemunha a professora.
a
Proex
a
A Extensão Universitária na Universidade Estadual do Ceará possui quatro tipos de ação: Projetos de Extensão, Cursos de Extensão, Eventos e Prestação de Serviços.
a
Com característica de serem esporádicos, os cursos de Extensão e os Eventos são trabalhados de forma específica, com durações de 10 a 40 horas. Essas atividades surgem por meio da iniciativa dos professores e, por esse motivo, há uma grande volatilidade. “Um mesmo curso que é oferecido em 2018 pode não ser em 2019 ou o contrário. Para você ter uma ideia, em 2018, nós emitimos 14.703 certificados para os participantes de nossos cursos de Extensão e 8.465 certificados para os participantes de nossos eventos”, detalha o pró-reitor.
a
Na Prestação de Serviço, a Uece tem atividades permanentes, como o Hospital Veterinário, o cursinho pré-vestibular UECEVest, e os núcleos de línguas que são cursos de idiomas para a comunidade. Em 2018, mais de 30 mil pessoas foram beneficiadas com as ações.
a
a

Fonte: Governo do Ceará (com apoio da Uece)
 

Serviços

Agenda - Julho 2019

Do Se Te Qu Qu Se Sa
30 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 1 2 3

Faculdade de Educação, Ciências e Letras do Sertão Central - FECLESC

Rua José de Queiroz Pessoa, Nº 2554 - Planalto Universitário - CEP: 63.900-000 - Quixadá/CE

Fone:(88) 3445-1036 - Fax: (88) 3445-1039 - E-Mail: feclesc@uece.br