Secretarias e Órgãos
Telefones úteis
Redes Sociais

Calendário
Dezembro 2018
D 2a 3a 4a 5a 6a S
25 26 27 28 29 30 1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31 1 2 3 4 5
Noticias
voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto
Turma especial de Serviço Social cola grau na Uece
PDF
Imprimir
E-mail
Ter, 04 de Dezembro de 2018 17:20

 

A Universidade Estadual do Ceará (Uece) realizou na última quinta-feira (29/11), no Campus Itaperi, solenidade de colação de grau para 49 concludentes da turma especial do curso de Serviço Social.

A turma vinculada ao Centro de Estudos Sociais Aplicados (Cesa) é resultado de convênio entre a Uece e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), por meio do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera), em parceria com os Movimentos Sociais ligados à Via Campesina.

 

alt

 

Com início em 2013, a turma única foi oferecida especialmente para formação de estudantes procedentes das áreas de reforma agrária dos estados do Ceará, Alagoas, Maranhão, Bahia, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Pará e Rio Grande do Sul.

Antes do evento ser iniciado, grupo constituído por integrantes da Via Campesina apresentou uma "mística" como manifesto de esperança e, ao mesmo tempo, para passar a mensagem das razões de suas lutas.

 

alt

 

A cerimônia de colação de grau foi presidida pelo vice-reitor da Uece, professor Hidelbrando Soares, que, em seu discurso, destacou aos concludentes o desafio que eles terão pela frente diante de um cenário de crise democrática e de tentativa de cercear a liberdade de expressão, causa pétrea da Constituição de 1988, que completou 30 anos em 2018 e encontra-se agora sob ameaça.

"Não imaginávamos que iríamos viver momentos como o que vivemos agora, em que conquistas constitucionais como a livre expressão do pensamento e a liberdade acadêmica iriam ser questionadas", exclamou o vice-reitor.

 

alt

 

O presidente da cerimônia ressaltou que a condição para produzir conhecimento relevante exige o livre pensar, o livre debate dentro das universidades. "Temos todas as cores epistemológicas, teóricas, metodológicas e ideológicas dentro da universidade, pois essa é sua natureza, e é por isso que este deve ser o espaço privilegiado do pleno exercício da liberdade de expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, em todas as suas dimensões, seja na produção de conhecimento, na prática política e no debate de ideias", completou Hidelbrando.

 

alt

 

A secretária da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Nágila Maria Drumond de Andrade, esteve presente na colação e enfatizou que "não podemos cruzar os braços diante da história. A história exige que a universidade esteja cada vez mais aberta, seja cada vez mais conectada ao povo". E completou: "Façamos da universidade a nossa trincheira, façamos do pensamento livre a nossa trincheira, (...) e abracemos o futuro, abracemos a felicidade, abracemos o povo brasileiro".

 

alt

 

A representante docente, professora Liana Brito, após parabenizar os concludentes por sua vitória e agradecer a todos que contribuíram com a realização dessa turma especial, destacou o importante papel da Uece nessa conquista. "O papel que a Universidade Estadual do Ceará, pública e gratuita, cumpriu na formação dessa turma de Serviço Social da Terra, quebrando seus muros e cercas para que camponeses e camponesas aqui estudassem (...). Continuemos juntos na luta pela reforma agrária popular, em defesa da universidade pública e gratuita, na luta pelos direitos humanos e pela democracia".

 

alt

 

O representante discente, Paulo Henrique Campos, discursou com orgulho: "Somos sujeitos que nos propomos a adentrar e romper com os preconceitos em busca de direitos, que ao longo de nossa formação sócio-histórica nos foram negados". Falou ainda das dificuldades: "Foram muitas trincheiras, batalhas para chegarmos até aqui, que nos forjam enquanto sujeitos em construção, na superação dos obstáculos ao longo dos anos de vivência acadêmica, aperfeiçoando os aprendizados, reforçando nossa convicção do chão de onde viemos e nos fortalecendo enquanto militantes, lutadores e lutadoras, formandos e formandas da pedagogia da luta". E concluiu: "Deixamos para a universidade não apenas monografias, mas acima de tudo a produção de um conhecimento crítico da realidade, pois a ciência só tem sentido se ela for construída com o povo e para o povo".

 

alt

 

Após o juramento, que teve à frente a concludente Ana Maria Eugênio da Silva, cada um dos 49 novos assistentes sociais receberam das mãos do vice-reitor as certidões de conclusão do curso.

 

alt

 

Estiveram também presentes na cerimônia a pró-reitora de Graduação, Mônica Cavaignac; a pró-reitora de Extensão em exercício, Maria das Dores Souza; o diretor do Cesa, Vladimir Spinelli; o diretor do Centro de Ciências e Tecnologia (CCT), Luciano Cavalcante; a coordenadora e a vice-coordenadora do curso de Serviço Social Pronera/Uece, Laura Maria Cunha e Adinari Sousa, respectivamente.

Estavam ainda o secretário estadual de Desenvolvimento Agrário, Francisco de Assis Diniz; a representante do Incra, Liliane Tavares; o representante do MST/CE, Jenivando Santos; o deputado estadual Renato Roseno; e os representantes: do SindUece, Virgínia Assunção; do MST/PE, Doris Soares; do Ematerce, Bartolomeu Cavalcante; do Movimento Atingido por Barragens, Samuel Oliveira; e da Comissão Pastoral da Terra (CPT), Tiago Valentino.

 

alt

alt

alt

alt