Secretarias e Órgãos
Telefones úteis
Redes Sociais

Calendário
Novembro 2017
D 2a 3a 4a 5a 6a S
29 30 31 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 1 2
Noticias
voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto
Curso de Medicina da UECE é o 3º melhor do Brasil no ENADE
PDF
Imprimir
E-mail
Qua, 06 de Setembro de 2017 14:30


Uece comemora 15 anos de criação do MedUECE

O curso de Medicina da Universidade Estadual do Ceará (UECE) obteve a 3ª maior nota no país, no Exame Nacional de Desempenho do Ensino Superior (Enade). Os números foram divulgados no último dia 1º de setembro, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).
 
A nota referente ao desempenho dos alunos do curso de Medicina, pelo Enade, foi 5, pontuação máxima do exame. A UECE oferece o melhor curso de Medicina, pela nota do Enade, do Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sul do Brasil, suplantado apenas por dois cursos do Sudeste.

A UECE festeja, neste ano de 2017, os 15 anos de instalação do curso de Medicina (MedUECE). A criação se deu em 23 setembro de 2002, conforme Resolução nº 377, do Conselho Universitário (CONSU). O Projeto Pedagógico do MedUECE foi  elaborado conforme as recomendações das Diretrizes Curriculares Nacionais do Conselho Nacional de Educação (Resolução CNE/CES Nº 4, de 7 de novembro de 2001). O curso foi criado na gestão do então reitor Manasses Claudino Fonteles.

O primeiro vestibular do Curso de Medicina da UECE aconteceu em 2003, com uma concorrência de 63,3 para cada vaga, das 40 ofertadas, com 2.540 inscritos. Agora, em 2017, no ranking dos cursos mais procurados, o campeão mais uma vez foi o de Medicina, com 171,5 candidatos para cada vaga, com 5.146 inscritos. Atualmente o curso tem 198 alunos matriculados, e já formou 378 profissionais. No tocante à titulação docente, 80% dos professores são mestres e doutores.

Para o atual reitor da UECE, professor Jackson Sampaio, o processo de formação no curso de Medicina é longo, intenso e deve ser tutorial, aproximando professor de aluno e aluno de cada realidade sanitária enfrentada. São seis anos de curso que garante ao aluno o diploma como Médico Geral Comunitário e da Família. Desses seis anos, os quatro primeiros são considerados os de estudos básicos, os dois últimos são de ensino profissional, o chamado internato, quando o aluno praticamente frequenta apenas ambientes hospitalares e de Medicina de Família, conhecendo as áreas de saúde e suas especialidades.

O titular da Uece vai além, “o curso promove e mantém a saúde individual e coletiva da população brasileira, cearense em particular, por meio de formação científica, ética e humanista, integrada criticamente às políticas públicas de saúde”. O credenciamento dos oito hospitais estaduais, situados em Fortaleza, como hospital universitário em rede, oferece o formato geral do curso. A existência de gratificação de trabalho relevante para os médicos dos hospitais credenciados, visando o acompanhamento dos estudantes nos campos de prática, realiza a integração ensino/assistência. A oferta de 40 vagas/ano caracteriza a dimensão artesanal. A dinâmica curricular, acompanhada semestre a semestre por atividades prático/teóricas em Saúde Coletiva, prepara o estudante para sua missão.

O curso tem como propósito formar médicos capacitados para trabalhar em equipe multiprofissional, vendo o paciente dentro de um contexto de saúde integral, em uma realidade biopsicossocial. Adiante-se que o médico deve ser capaz de resolver a maior parte das demandas, sabendo discernir a oportunidade de referir para atendimentos de maior complexidade, bem como de dar seguimento às contra-referências de serviços mais especializados. A par disso, tem capacidade para intervir na comunidade, interagindo com seus componentes, no intuito de identificar as reais necessidades de saúde, assegurando, por conseguinte, melhor qualidade de vida ao cidadão.

O Curso de Medicina, coordenado pela professora Maria Denise Carvalho de Andrade, pertence ao Centro de Ciências da Saúde, que tem como Diretora, a Professora Gláucia Posso Lima. O reitor da UECE, professor Jackson Sampaio, é médico, participou do processo de criação do curso e é Professor Titular em Saúde Pública, vinculado ao seu corpo docente.