Secretarias e Órgãos
Telefones úteis
Redes Sociais

Calendário
Setembro 2014
D 2a 3a 4a 5a 6a S
31 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 1 2 3 4
Noticias
voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto
Seminário debate participação/adesão da Universidade ao ENEM/SISU/COTAS
PDF
Imprimir
E-mail
Ter, 25 de Junho de 2013 15:16



Com objetivo de discutir a forma de participação/adesão da UECE ao Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), como processo de seleção, bem como refletir sobre o Sistema de Seleção Unificada (SISU) e sobre o sistema de Cotas Sociais e Raciais, a Reitoria da UECE realizou nos dias 17 e 18 de junho, no Auditório Paulo Petrola, Campus do Itaperi, o Seminário Políticas de Ingresso e Inclusão da Universidade ao ENEM, SISU e COTAS. 


Para o Reitor, Jackson Sampaio, é de fundamental importância trazer para dentro da academia, debates com este, com a participação dos três segmentos da universidade, professores, alunos e servidores. Estamos analisando as condições, que visão de mundo, de sociedade e de vida acdêmica para aderir o ENEM, ao SISU ou às Cotas. São novos formatos de seleção com políticas afirmativas, que merecem uma discussão importante para o nivelamento de informações, contribuição significativa para oferecer bases à tomada de decisão na instituição.
 

O ENEM tem por objetivo o desenvolvimento de uma nova metodologia de avaliação da educação básica. O SISU tem por objetivo ampliar oportunidades por meio da mobilidade. As Cotas têm por objetivo a redução das iniquidades historicamente acumuladas. A questão é o que e como fazer na situação concreta da UECE, no contexto das demandas específicas da população cearense.


O diretor do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), Alexandre André dos Santos, proferiu a palestra de abertura do seminário, sobre o tema “Política de acesso, inclusão e permanência na universidade,“ e enfatizou que o governo trabalha com políticas de indicador de escolas públicas, o ENEM é um processo de alta avaliação, de habilidades e competências, que serve também, de instrumento de inclusão e certificação.  Outro processo de construção é o Guia em Braile, na versão ampliada, que possibilita acesso e inclusão de portadores de deficiência visual, ao ensino superior.


Para o Reitor da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), Carlos Alberto Pereira da Silva, a decisão de aderir ao ENEM, foi uma medida acertada, pois a qualidade da avaliação do certame é inclusiva e de excelência pedagógica, afirmou o Reitor da UESPI. Mas, também afirmou que a UESPI, na situação social do Piauí, apresentava déficit em torno de R$ 100 mil no seu Vestibular.


O Secretário Adjunto da Secretaria de Educação Básica do Estado do Ceará (SEDUC), Maurício Holanda Maia, falou do empenho do Governo Estadual em colocar todos os alunos do último ano do ensino médio no ENEM, mas entende, que as IES assumam modelos mistos, com o ENEM como primeira fase, mas alerta para que a segunda fase se aproxima da lógica das questões do ENEM. Em relação ao SISU, o secretário entende sua complexidade e suas polêmicas, destacando a possibilidade de uma solução cearense, como a da oferta de um SISU estadual, integrando UECE, UVA, URCA e FATEC/CENTEC. Quanto às Cotas, elas constituem necessidade estratégica para a sociedade democrática que o Brasil deseja ser.


O professor Eli Brandão, pró-reitor de Graduação da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), informou que a instituição adota o ENEM, o SISU e as Cotas, de modo parcial, oferecendo 25% das vagas. A UEPB começa a sentir os impactos, todos muito positivos, da experiência. Agora, depois de seis anos, decidiram fazer uma avaliação global da experiência, para a decisão por novos rumos.


As Reitoras da Universidade Regional do Cariri (URCA), Otonite Cortez, e da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), Palmira Soares de Mesquita, destacaram a importância da iniciativa da UECE e agradeceram o convite para participar, revelando a presença de vários pró-reitores de ambas as universidades no Seminário. Elas entendem que, ressalvando ajustes necessários ao porte e às especificidades da região de Sobral e do vale do Cariri, as três universidades estaduais cearenses devem marchar juntas nas decisões sobre ENEM, SISU e Cotas. Por fim, demonstram simpatia pelo modelo de acesso misto, ENEM mais 2a fase, e pelo SISU estadual cearense. Quanto à necessidade das Cotas, a concordância é plena, faltando análise do perfil dos estudantes das IEES e do perfil demográfico das regiões, para a decisão sobre as proporções.


A pró-reitora de Graduação da UECE, Marcília Chagas Barreto, enfatizou os ganhos em mobilidade com os programas “Ciências sem Fronteiras”, “Licenciaturas Internacionais” e com o Programa de Acompanhamento Discente (PRADIS), que monitora o tempo do aluno na universidade. Então, agora é possível debater acesso e inclusão, na perspectiva da democracia e do papel transformador das IEES sobre a sociedade. O pró-reitor de Políticas Estudantis da UECE, Antonio de Pádua Santiago de Freitas, um dos idealizadores deste seminário, afirmou que a universidade dá um pontapé inicial no debate dessas questões, para decisões conscientes e integradas com URCA e UVA.


Ao final, foram feitos alguns encaminhamentos: elaborar e divulgar relatório do Seminário, concluir a pesquisa sobre o perfil dos alunos, realizar a pesquisa sobre o perfil demográfico cearense e promover, em agosto, outro Seminário, insistindo no aumento da participação da comunidade interna e solicitando, à SEDUC, a participação de representantes dos estudantes do ensino médio.


Estiveram presentes, além dos convidados externos, os três reitores das estaduais cearenses e dos pró-reitores relatores da última mesa redonda, o Vice-reitor da UECE, Hidelbrando dos Santos Soares, o Vice-reitor da URCA, José Patrício Pereira Melo, o Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa, Jerffeson Teixeira de Souza, o Pró-Reitor de Políticas Estudantis, Antonio de Pádua Santiago de Freitas, a Procuradora Educacional Institucional, Fátima Leitão Araújo, a Chefe de Gabinete, Josete Castelo Branco Sales, o presidente da Comissão de Executiva do Vestibular (CEV), Cleiton Batista Vasconcelos, a Ouvidora, Francimá Campos  Rocha, a coordenadora da Célula de Ação Afirmativa da PRAE, Zelma Madeira Cantuário, a representante do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, Julieta Fontenele Morais Landim, Diretores de Centros e Faculdades, Coordenadores de Cursos de graduação, alunos e servidores.




alt




alt




alt




alt