Secretarias e Órgãos
Telefones úteis
Redes Sociais

Calendário
Agosto 2018
D 2a 3a 4a 5a 6a S
29 30 31 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31 1
mod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_counter
mod_vvisit_counterHoje771
mod_vvisit_counterOntem1239
mod_vvisit_counterEsta semana7698
mod_vvisit_counterSemana passada7547
mod_vvisit_counterEste mês19873
mod_vvisit_counterMês passado32316
mod_vvisit_counterTodos os dias351163

We have: 17 guests online
Your IP: 54.80.102.170
 , 
Today: Ago 17, 2018
Noticias
voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto
Experiência do projeto Pingo D’Água é apresentado a alunos de Agronegócio


alt


Estudantes do curso técnico de Agronegócio (Mediotec/Pronatec) em Quixeramobim realizaram visita técnica ao Projeto Pingo d’Água, localizadono Vale do Riacho Forquilha, distrito da Cidade. Segundo a professora Cristiane Celedônio, “trata-se de um distrito relativamente pequeno, onde residem cerca de cinco mil pessoas e as chuvas são extremamente irregulares. Nos anos secos, as precipitações pluviométricas são da ordem de 200 mm.”


O projeto é uma parceria da prefeitura de Quixeramobim com universidades cearenses e da França, que enviou uma equipe técnica nas áreas de agronomia e hidrologia, com experiência em ex-colônias francesas da África, com poços tubulares manuais (PTM), para capacitação dos agricultores brasileiros.


alt


“O Pingo D’Água tem promovido o aumento efetivo da renda e do emprego dos beneficiários. Alguns residentes que migraram para outras regiões do País retornaram às suas origens na expectativa de aproveitar as novas oportunidades surgidas”, comenta a professora.


A agricultura realizada no Distrito envolve culturas como feijão, hortaliças e fruticultura, onde os produtores trabalham com um sistema autossustentável, com a criação de peixes, irrigação sendo realizada com a água dos tanques de produção, bovinocultura leiteira - cujos rejeitos são usados como biofertilizante - e a produção do biogás para utilização nas residências.


alt


“A produção da região está sendo industrializada na própria comunidade com o processamento para polpa de frutas e em doceiras”, ressalta Cristiane, acrescentando que comercialização da produção ocorre por meio de cooperativa