Secretarias e Órgãos
Telefones úteis
Redes Sociais

Calendário
Julho 2018
D 2a 3a 4a 5a 6a S
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31 1 2 3 4
mod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_counter
mod_vvisit_counterHoje177
mod_vvisit_counterOntem1066
mod_vvisit_counterEsta semana6374
mod_vvisit_counterSemana passada7447
mod_vvisit_counterEste mês21133
mod_vvisit_counterMês passado29680
mod_vvisit_counterTodos os dias319375

We have: 6 guests, 2 bots online
Your IP: 54.81.76.247
 , 
Today: Jul 20, 2018
Noticias
voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto
Cursos FIC vão beneficiar população de 13 municípios do Ceará


alt


Os cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) do Pronatec/Funece vão ser realizados em 13 municípios cearenses na Pactuação 2018.1 - Alto Santo, Aquiraz, Arneiroz, Caucaia, Crateús, Fortaleza, Guaiuba, Iracema, Madalena, Mauriti, Parambu, Potiretama e Quiterianópolis.

No total, serão nove cursos divididos em três áreas: Campo - Avicultor, Agricultor Orgânico, Fruticultor, Ovinocultor, Agricultor Familiar e Caprinocultor; Saúde - Agente Comunitário de Saúde e Cuidador de Idoso; e Meio Ambiente - Agente de Desenvolvimento Socioambiental. No total, 365 pessoas serão beneficiadas em cursos que variam entre 160h e 400h.


alt


Uma capacitação com professores e coordenadores (regionais e de cursos) foi realizada na terça-feira (19/06), no campus Itaperi da Universidade Estadual do Ceará (Uece). Na abertura do evento, o coordenador geral do Pronatec/Funece, Hidelbrando Soares, comentou que os cursos FIC atendem “uma população que não teve acesso pleno à educação formal, pelo menos no ensino médio. E no Ceará, particularmente, uma população muito ruralizada.”

De acordo com o coordenador, os cursos precisam garantir “conhecimento nos patamares que estamos propondo, melhorando a capacidade de empregabilidade ou empreendedora (dos participantes).”


alt


Hidelbrando Soares lembrou ainda que o Pronatec tem o objetivo de expandir a educação profissional no País, promovendo a inclusão social, a partir de parcerias com entidades públicas e privadas. “Esse é um programa importante, ainda mais quando o Estado não tem condições de criar estruturas de educação profissional em todo canto e lugar”, avaliou.