Secretarias e Órgãos
Telefones úteis
Redes Sociais

Calendário
Abril 2020
D 2a 3a 4a 5a 6a S
29 30 31 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 1 2
Noticias
voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto
Situação atual da Pesquisa com Leite de Cabra e Água de Coco em Pó

Como parte da linha de pesquisa do Prof. Dr. José Ferreira Nunes, que explora possibilidades de uso da água de coco em pó, um laboratório, a ACP Pesquisa, e uma empresa vinculada à Incubadora de Empresas e Centro de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação da UECE (INCUBAUECE) da Universidade Estadual do Ceará (Uece), a ACP Indústria, identificaram uma mistura de leite de cabra e de água de coco em pó que, na análise prévia de composição, apresentou características equivalentes ao do leite materno humano, portanto possível e importante valor sanitário.

O produto desta etapa encontra-se concluído, mas, impõe-se desdobrar, agora, um conjunto de novos estudos, de natureza clínica, para avaliar seu uso na alimentação humana. Para tanto, o referido grupo de pesquisa da UECE procurou o Hospital Infantil Albert Sabin e o Instituto da Primeira Infância (IPREDE) para divulgação, sensibilização e consolidação de provável parceria na elaboração dos estudos clínicos necessários, a serem realizados.

Segundo informações da equipe de pesquisa, é nesta etapa que o processo se encontra, aguardando as devidas parcerias, para os devidos estudos, com ampliação da multidisciplinaridade (nutricionistas, pediatras etc.) que, em sendo o processo e o produto aprovados pela validação clínica, seguirão para serem submetidos às agências nacionais reguladoras.

No momento, os pesquisadores já aplicaram o projeto junto ao Edital BNB/FUNDECI, demandando recursos financeiros que viabilizem a continuidade dos estudos. O projeto desta pesquisa necessária, já se encontra entre os 10 selecionados no Nordeste, com expectativa positiva de aprovação final.

Os pesquisadores conhecem a riquíssima complexidade do leite materno humano, por isso precisam estar convencidos, à base das evidências científicas e do amparo ético-legal, do valor último desse importante achado, que permitirá a alimentação de crianças em situações especiais, a serem devidamente referendadas.


Fonte: UECE, em 6 de janeiro, às 15:57